RECONCILIAÇÃO: “MATÉRIA”, MINISTRO E FORMA