PASTORAL CARCERÁRIA REPUDIA ALTERAÇÕES EM LEIS ANUNCIADAS PELO MINISTRO DA JUSTIÇA